terça-feira, junho 21, 2022

Depilação a laser: quais tipos de laser existem e como escolher o melhor para a sua pele

-
0 Comentários

 



Oi seus lindos!


A depilação a laser tem conquistado cada vez mais fãs no Brasil, em grande parte graças à democratização do acesso promovida por empresas como a Espaçolaser – a maior rede de depilação a laser do mundo. Mas, muitas dúvidas sobre o processo persistem, entre elas: como funcionam os lasers, quais tipos existem e qual é o mais indicado para cada cliente? Para explicar esses e outros pontos, Carol Cury, fisioterapeuta dermatofuncional e Diretora Técnica da Espaçolaser, fala um pouco aqui no Blog sobre a escolha do método ideal. 


“A escolha do método tem que ser baseada no fototipo de pele da pessoa – isto é, se o fototipo é mais alto (peles mais pigmentadas) ou mais baixos (peles menos pigmentadas). Na Espaçolaser trabalhamos com duas tecnologias distintas: o laser Alexandrite, que é indicado para peles brancas a morenas moderadas (Fototipo I a V), e o ND:Yag, para peles negras (Fototipo V e VI)”, explica Carol Cury. 


Como funciona e quais são as diferenças entre eles? 


A grande diferença entre as tecnologias disponíveis no mercado é o comprimento da onda do laser escolhido. Quanto menor o comprimento da onda, maior será a atração pela melanina (presente nos pelos dos clientes, por exemplo). Os especialistas costumam dizer que o comprimento da onda é a verdadeira identidade do laser, definindo a profundidade de penetração e a ação que ele terá sobre a pele. 


“Vale lembrar que os comprimentos indicados para a depilação a laser variam entre 700 e 800 nm, por isso o Alexandrite, que tem 755nm, é tão recomendado no processo de escolha dos consumidores”, comenta Carol. 


O Alexandrite possui uma penetração mais superficial da onda que outros lasers, sendo indicado para uma maior gama de pelos, dos mais escuros até os ligeiramente mais claros (não elimina pelos loiros, brancos e ruivos) e dos mais espessos aos ligeiramente mais finos, sendo favoráveis a algumas regiões específicas do corpo, como o rosto, por exemplo. O laser emite ondas de 755nm, removendo o folículo piloso dos pelos, sem machucar a pele que está em volta, devido a ação seletiva do laser, fenômeno denominado de fototermolise seletiva. Um fator interessante deste laser é que ele age pela melanina, no contraste de pelo a pelo, indicado para fototipos de números mais baixos.  


Já o ND:Yag, diferentemente do Alexandrite, possui um maior comprimento na onda, o que permite uma penetração mais profunda na pele. Outra diferença é que essa tecnologia possui menos atração pela melanina, sendo indicada para o tratamento e remoção de pelos em fototipos mais altos, principalmente para peles negras (a atração do laser pela melanina pode causar queimaduras em peles negras, o que é evitado graças à inovação do ND:Yag).  


“A depilação a laser é um procedimento muito procurado hoje em dia – não só por sua eficácia e segurança, mas por ser um método mais sustentável do que a cera ou a lâmina de barbear, que geram muitos resíduos. Por isso, estamos sempre em busca de tecnologias mais inovadoras e eficazes, pensando, também, em garantir que todos os consumidores possam ser atendidos adequadamente. O ND:Yag permite justamente isso, contemplando mais tons de pele e gerando mais inclusão para que todos possam se livrar, de maneira segura e eficiente, dos pelos indesejados”, completa Cury. 


Outra tecnologia bastante usada no mercado é o laser de Diodo, que possui onda de 810 nm e é indicada principalmente para pelos escuros e mais grossos. Esse laser também possui uma onda maior do que o Alexandrite, penetrando mais profundamente no folículo do pelo. O método conta com a tecnologia de resfriamento predominantemente de contato, o que permite uma depilação menos dolorosa e com menos chances de queimaduras.  


“A Espaçolaser também conta com o tratamento de gás de Criogênio – tecnologia exclusiva da marca Candela. Ele resfria a área de aplicação do laser, permitindo que a depilação seja mais confortável e menos dolorosa”, explica Cury. “E, claro, todos os tipos de laser são seguros. A escolha do método adequado, junto a um profissional qualificado, é fundamental para evitar possíveis queimaduras e otimizar os resultados.” 


Por isso, a Espaçolaser concilia tecnologia com o know how de seus colaboradores e fisioterapeutas para oferecer um serviço de qualidade, trabalhando com equipamento de alta potência, unidos à profissionais extremamente treinados com mais de 100 horas de capacitação teórica e prática, antes de atender o primeiro cliente. “Lembrando sempre que a avaliação de qual método é mais indicado para o cliente deve ser feito junto com a fisioterapeuta especializada da Espaçolaser. Assim, garantimos a melhor experiência e resultados possíveis”, finaliza Cury. 

Gostaram dessa informação?


Beijos da Lelê e até o próximo post!

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário